Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Polícia provoca, reprime e prende manifestantes contra a Copa em Salvador-BA
Publicado por Mário Júnior - Ter, 01 abr. 2014 19:20

Juventude e trabalhadores voltaram a ser vítimas de violência desproporcional e gratuita por parte da polícia. Em Salvador-BA, no último sábado (dia 29/03), um protesto contra a Copa da Fifa – evento que deixa como legado para o Brasil o aumento da corrupção com obras superfaturadas – terminou com 18 ativistas presos, dos quais 10 eram menores de 18 anos.

A manifestação, realizada durante os festejos dos 465 anos da capital baiana, acontecia pacificamente, próximo à região do Dique do Tororó. Por conta de um cone ter sido derrubado (fato sem nenhuma relevância), a guarda municipal da cidade, que foi recentemente militarizada (indo no caminho inverso dos pedidos da sociedade por desmilitarização da polícia), agiu com truculência e prendeu arbitrariamente um manifestante.

Após tentativas dos presentes em reverter o abuso de autoridade policial e libertar o militante, os policiais, numa clara tentativa de iniciar um conflito, prenderam outras 17 pessoas, acusando pessoas que somente estavam exercendo um direito facultado pela democracia de formação de quadrilha. Algo difícil de compreender, sobretudo quando o STF retira essa tipificação criminal dos réus do mensalão e o estado passa a sugeri-la de maneira tão natural a qualquer coletividade que exerça seu direito de livre manifestação.

Essa tentativa de criminalização dos movimentos sociais que lutam contra os governos federal, estaduais e municipais tem se intensificado nos últimos meses, após as jornadas de junho de 2013, e ganha total apoio da imprensa burguesa, que distorce os fatos e sempre joga aos manifestantes (de maneira irresponsável e sem nenhuma apuração precisa, desrespeitando o próprio código de ética do jornalismo) a alcunha de vândalos.

No domingo (30) os oito presos maiores de 18 anos foram libertados. Os 10 menores ficaram livres somente ontem (31). A atuação de advogados dos movimentos e entidades presentes no ato, e também do Cedeca (Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente), foi fundamental para que os trabalhadores e jovens fossem liberados pela polícia.

Agora uma reunião de movimentos sociais e entidades classistas vai debater o caso e articular a convocação de uma audiência pública, na assembleia legislativa ou na câmara municipal, para discutir o cerceamento das liberdades democráticas por parte do estado, algo que temos acompanhado nacionalmente com as tentativas de criação de um estado de excessão com leis antiterror, como já informamos em nossos boletins 547 e 548)

O SINASEFE envia aos lutadores da Bahia o seu apoio e solidariedade. Repudiamos tal atitude fascista da polícia, que visa criminalizar nossas lutas. E oferecemos, caso necessário, nosso suporte político e jurídico aos manifestantes presos, em caso de quaisquer perseguições políticas que estes possam vir a sofrer futuramente.

Última atualização em Ter, 22 abr. 2014 15:32