Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Seminário sobre negociação coletiva e direito de greve reforçou a necessidade da unidade das centrais sindicais para elaboração de proposta

Os servidores das três esferas do poder público federal realizaram um Seminário sobre Negociação Coletiva e Direito de Greve na ultima terça-feira (19), na Câmara dos Deputados, no auditório da casa Nereu Ramos, Jussara Griffo (Condsef) coordenou os trabalhos, cuja mesa foi composta por: José Maria da (CSP-Conlutas), Pedro Armengol (CUT), Nelson Karan (Dieese), Mário Guerreiro (AGU) e Antônio Queiroz (Diap).

Na apresentação das posições a CSP – CONLUTAS, baseado na correlação de força na sociedade e no perfil conservador do Congresso brasileiro, chamou atenção para o perigo que pode representar a posição que a CUT e a CTB junto com outras centrais de encaminhar para o CONGRESSO NACIONAL uma proposta de regulamentação do Direito de Greve e de Negociação Coletiva.

Cerca de 400 sindicalistas se fizeram presente ao seminário e tiveram oportunidade de externar suas preocupações discutindo amplamente o interesse do governo em impedir o direto constitucional dos trabalhadores do serviço público em fazer GREVE.

Apesar da UNIDADE de todos os representantes sindicais em garantir o Direito de Greve aos servidores públicos, bem como a necessidade de lutar pelo direito dos sindicatos dos serviços público em construir acordos coletivos, o seminário apresentou uma diferença tática de como encaminhar esta luta.

Algumas Centrais Sindicais, tendo a frente CUT e CTB, estão encaminhando para o Congresso Nacional uma proposta de Lei para ser discutida e deliberada neste fórum com respeito à regulamentação desses nossos direitos.

Já a CSP – CONLUTAS considera que qualquer regulamentação do Direito de Greve representará impor limites ao nosso direito constitucional, portanto devemos exigir que caiba aos trabalhadores realizar sua auto-regulamentação.

alt Dirigente do Sinasefe David Lobão    alt Membros da Direção Nacional do Sinasefe

O SINASEFE, representado pelo seu dirigente nacional David Lobão, alertou para a falta de conhecimento das bases sobre a proposta encaminhada pela CUT e CTB, e que infelizmente a capacidade de mobilização e organização da classe trabalhadora, neste momento, é desfavorável ao embate político no âmbito do Congresso Nacional. Apoelou então para o bom senso destas centrais em recuar na apresentação desta proposta permitindo realizar nas bases amplas discussões sobre nossas ações.

Foram muito bem recebidas neste seminário os representantes da organização AUDITORIA DA DÍVIDA CIDADÃ, representada pela companheira Maria Lucia Fatorelli, que chamou atenção para a luta pela NULIDADE DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA, do governo do Sr. Lula da Silva, que retirou direitos dos Servidores Públicos Federais, em virtude do reconhecimento pelo próprio STF de que a aprovação da referida reforma foi conquistada por meio do processo de compra de votos dos parlamentares, conhecido por MENSALÃO.

Para a CSP – CONLUTAS o seminário foi bastante produtivo e deve ser construído nos estados com a maior participação possível da base, chamando sempre a atenção de que se trata dos interesses de todos os servidores públicos (federal, estaduais e municipais).

O SINASEFE propõe as suas secções em todos Brasil que façam todos os esforços para que possamos reproduzir esse seminário em todos os estados brasileiros.

 

Última atualização em Sex, 22 fev. 2013 14:30