Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Falta de estrutura na expansão dos IF reflete reprovações no CPC

Após a primeira lista do Conceito Preliminar de Curso – CPC relativa ao ano de 2011 ter sido divulgada em dezembro, o MEC divulgou nesta terça-feira (8) a segunda lista classificando de 1 a 5 mais 38 cursos de 21 instituições de ensino superior do país que ainda estavam em análise, pelo órgão. Com isso, quatro institutos federais e o Cefet/RJ foram classificados com notas 1 e 2, que traduz em conceito ruim.

A avaliação é calculada a partir de variáveis como infraestrutura, corpo docente e rendimento dos estudantes. O IF Fluminense e o Cefet/ RJ tiveram quatro cursos reprovados, cada; o IFCE e o IFPA, dois; já o IF Sertão Pernambucano e o IFRR, tiveram um curso cada (Veja listagem de cursos no final da matéria).

A meta de entregar 562 câmpus até o fim de 2014 se faz necessária para a economia do país, no intuito de qualificar mais brasileiros profissionalmente, entretanto o resultado insatisfatório nos IF, apresentado na publicação do Diário Oficial da União é reflexo da expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica produzida pelo governo, sem investimento na infraestrutura necessária e contratação de servidores suficientes.

Com o mau planejamento da expansão, ocorre a falta de profissionais, professores redistribuídos para disciplinas/ turmas que não são suas especialidades para cobrir as falhas. Já os estudantes se deparam com laboratórios e bibliotecas precárias, ou com a inexistência destes.

O corpo docente é qualificado, o que resta é o Ministério da Educação investir primeiramente na qualidade dos campi já abertos, além de estruturar os novos para reduzir os baixos índices dos cursos nos Institutos Federais. Enquanto não houver regularização da situação, as Instituições Federais de Ensino Superior - IFES ficam impedidas de abrirem vestibulares com novas vagas. Já as instituições privadas, além disso, não poderão contar com benefícios para os estudantes, como o Prouni (Programa Universidade para Todos) e o Fies (Financiamento Estudantil). O ministro Aloízio Mercadante reforçou que não aliviará no prazo determinado para ajustar o número mínimo de professores com mestrado/ doutorado e dedicação exclusiva, que é de 60 dias e também no prazo para melhorar a infraestrutura dos institutos, que são mais 180 dias.

 

Cursos reprovados pelo CPC 2011:


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR)

Saneamento Ambiental

 

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE)

Automação Industrial

Química

 

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA)

Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Geografia

 

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão)

Física

 

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IF Fluminense)

Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Engenharia de Controle e Automoção - Campo dos Goytacazes

Engenharia de Controle e Automoção - Macaé

Manutenção Industrial

 

Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ)

Engenharia de Controle e Automoção

Engenharia Elétrica

Engenharia Eletrônica

Engenharia Mecânica

Última atualização em Sex, 11 jan. 2013 12:36