Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
MAS A LUTA E A GREVE CONTINUAM
Publicado por Ascom Sinasefe - Qua, 01 ago. 2012 23:45

NAS NEGOCIAÇÕES COM O GOVERNO

O CIRCO JÁ ESTAVA ARMADO

 

MAS A LUTA E A GREVE CONTINUAM

 

Nesta quarta-feira (01), o Governo Dilma e o PROIFES deixaram bem às claras suas articulações entre patrão e sindicato pelego, buscando vender a categoria no processo negocial que vínhamos tentando implementar por conta das Greves reais que temos hoje no setor da Educação Federal. Lamentavelmente ocorreu o que muitos já imaginavam: o governo e o PROIFES vão assinar um acordo em nome de docentes que majoritariamente não são representados por aquela entidade vinculada ao governo federal.

Após a costumeira apresentação por parte de ANDES, SINASEFE e CONDSEF (representando parte dos docentes dos Ex-Territórios), onde as três entidades informaram a unânime negativa à segunda proposta do governo, o PROIFES, cumprindo o seu papel de entidade pelega, buscando dar o seu apoio para a aprovação da proposta do patrão, acabou anunciando um resultado do seu “plebiscito” em favor da proposta do governo federal. Segundo eles foram cerca de 5 mil votantes, onde cerca de três mil responderam favoravelmente à proposta. Vale ressaltar que a Rede Federal possui mais de 90 mil docentes que responderam através das suas Assembleias de Base contra as duas propostas do governo.

Ao término da apresentação de todas as Entidades, antes do governo expor a sua posição sobre o que fora apresentado pelas entidades, houve o recebimento de uma ligação pelo Secretário Sergio Mendonça que informou que precisava de um intervalo para que ele pudesse socializar aos demais integrantes da bancada de governo as informações recebidas naquela ligação. Tal recesso ocorreu e no retorno o Secretário Sergio Mendonça deu duas informações para os representantes da bancada sindical: 1ª) A cúpula do governo acabara de informá-lo que as negociações quanto aos Técnicos Administrativos começarão a ocorrer a partir da próxima segunda feira, sendo também esclarecido pelo próprio Secretário, a nosso pedido, que FASUBRA e SINASEFE iriam ser convidadas a participarem da referida mesa; 2ª) A partir do que fora dito por todas as Entidades em resposta à proposta do governo, mesmo contrariando a posição das outras três entidades que se pronunciaram, o governo iria optar em assinar o acordo com o PROIFES que apresentou posição favorável. Foi dito claramente pelo Secretário que estaria promovendo a assinatura do acordo amanhã e convidava, além do PROIFES que já tinha se colocado à disposição para fazê-lo, as demais entidades para também assinarem o referido acordo, já que aquela era a posição final do governo e que as negociações sobre os docentes estavam se encerrando naquele momento.

Imediatamente pedimos a palavra e afirmamos que não nos furtaríamos em participar do processo negocial dos Técnicos Administrativos, mas que não considerávamos encerradas as negociações em relação aos docentes, já que o governo tinha optado em assinar um acordo com uma entidade que não tem qualquer representatividade na Rede Federal de Ensino, e que não estava representando sequer os membros da sua base que tinham majoritariamente rejeitado às duas propostas apresentadas pelo Governo Dilma. Afirmamos que as negociações acabam quando as duas partes abrem mão do processo negocial e que o SINASEFE não abre mão de continuar negociando os direitos das bases em greve. O ANDES e a CONDSEF foram na mesma direção do SINASEFE, dizendo que as negociações não acabavam ali, até porque a greve iria continuar e somente deixaríamos de reivindicar as negociações quando a greve acabasse o que estava longe de ocorrer.

As entidades de fato representativas da categoria alertaram o governo que o caminho escolhido tinha conseqüências e que certamente mais adiante toda sociedade veria que o governo assinou um acordo com uma Entidade de Gabinete, que substituir o debate político por mensagens eletrônicas sem qualquer respaldo na verdade ou na apuração da mesma.

Amanhã o Comando de Greve do SINASEFE irá fazer uma breve análise do ocorrido e apresentará uma avaliação política mais aprofundada. O que recomendamos agora é o fortalecimento do movimento e a necessidade de denunciarmos o governo e o PROIFES pelo acordo imoral que irão assinar amanhã.

Nos dias 07 e 08 de agosto teremos uma Plenária do SINASEFE onde iremos discutir os rumos do movimento. A questão ocorrida hoje também deve ser pautada nas Assembleias de Base para que possamos responder de maneira ampla e enfática à traição e à falta de respeito praticadas pelo Governo e sua Entidade de Gabinete. Devemos claramente definir quais serão as nossas contrapartidas para combater este profundo ataque ao nosso direito de reivindicar e negociar os nossos salários e carreiras.

Enfim, pedimos a todos que possam fazer uma ampla corrente para que todos estejam presentes na próxima PLENA onde certamente iremos pautar discutir e definir ações concretas contra todo este desrespeito ao nosso Sindicato Nacional, às Assembleias de Base e à nossa greve.

 

  • NÃO ÀS CERTIFICAÇÕES;
  • CONTRA QUALQUER CRITÉRIO IMPEDITIVO PARA O DOCENTE CHEGAR AO TOPO DA CARREIRA;
  • MANUTENÇÃO DAS CONQUISTAS ANTERIORES;
  • CONTRA DISCRIMINAÇÃO AO ESTÁGIO PROBATÓRIO;
  • NEGOCIAÇÃO JÁ PARA TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS E DOCENTES;

 

 

 

Comando Nacional de Greve do SINASEFE

Última atualização em Sex, 10 abr. 2015 08:20