Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Greve do Sinasefe Notícias
“Unificação e radicalização da luta” marcam a primeira parte da Reunião dos Comandos de Greve Unificados do Sinasefe, do ANDES-SN, da Fasubra e Estudantil
Publicado por Ascom Sinasefe - Sáb, 07 jul. 2012 18:14

Ocorreu na manhã de hoje (07), no Hotel San Marco em Brasília, a Reunião dos Comandos de Greve Unificados do Sinasefe, do ANDES-SN, da Fasubra e Estudantil. Organizado pelos Comandos das categorias da educação pública federal em greve, o objetivo do encontro era fortalecer a unificação na luta e intensificar o movimento e esse foi o tom que norteou as falas dos participantes.

Em suas intervenções, os servidores e os estudantes deixaram claro que não irão recuar diante das recentes ameaças do governo federal que, recentemente e de forma arbitrária, propôs aos gestores das universidades e institutos o corte de ponto dos servidores em greve: “O momento é de mobilização e radicalização, os servidores estão unidos e darão resposta às ameaças do governo federal. Por isso iremos radicalizar as mobilizações e realizar um grande acampamento nos dias 16 a 20 de julho”, afirmou o Coordenador do Sinasefe Nacional, Luiz Sérgio Ribeiro.

A análise dos grevistas é a de que faz parte da política desse governo o desmonte do serviço público federal, haja vista as políticas que vêm sendo adotadas como a aprovação da Funspresp, Pronatec, Reuni, a privatização dos hospitais, etc. Essas medidas deixam claro que o governo tem trabalhado a serviço do neoliberalismo e que suas prioridades estão relacionadas ao fortalecimento do capital financeiro internacional.

Nesse sentido, as tarefas prioritárias colocadas para movimento são a intensificação da luta, a radicalização das ações e a construção da unidade com os comandos greve dos servidores e estudantes das universidades. Dessa forma, vamos demonstrar para o governo que o servidor público não ficará passivo diante do desmonte do serviço publico federal.