Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Denúncia de atos contra direitos humanos no Acre

ACOMPANHADO PELA CSP-CONLUTAS, ATRAVÉS DA REPRESENTAÇÃO DO SINASEFE, OSMARINO AMÂNCIO, LIDER SERINGUEIRO, MAIS UMA VEZ DENUNCIA ATOS CONTRA OS DIREITOS HUMANOS, NO ACRE

Convidado pelo SINASEFE a participar do PAINEL desta entidade acerca dos Movimentos Sociais, realizado no dia 19/5/2012, por ocasião de sua 108ª Plena, em Brasília-DF, o líder seringueiro Osmarino Amâncio chegou à Brasília e, acompanhado pela CSP-CONLUTAS, através da Direção Nacional desse Sindicato Nacional, na figura de seu Coordenador Geral, Carlos David de Carvalho Lobão, visitou vários órgãos para denunciar os abusos de que os(as) moradores(as) da floresta estão sendo vitimas.

Desta vez, a principal denúncia foi o abuso de poder praticado pelos(as) fiscais do ICMbio – Instituto Chico Mendes Biodiversidade – que vem ameaçando aos(às) moradores(as) da floresta, acusando-os(as) de serem responsáveis pelo desmatamento daquele local, e também de matar animais.

O papel desempenhado pelos(as) moradores(as) da floresta, em sua defesa própria, já é conhecido, internacionalmente; e sua divulgação tem no nome Chico Mendes um dos seus principais referenciais. Todos(as) sabem que as condições de permanência na floresta exige, dos(as) seus(as) moradores(as), o desenvolvimento de atividades de caça, de pesca, além do uso da madeira para construção das suas moradias. Isso fazem os(as) seringueiros(as), os(as) índios(as), os(as) ribeirinhos(as), e todos(as) aqueles(as) que vivem e moram na floresta; e esses(as) nunca representaram uma ameaça para a floresta, muito pelo contrario, sempre foram os(as) seus(as) principais defensores(as); afinal, é da floresta que eles(as) tiram sua sobrevivência.

Na verdade, essas acusações apareceram no momento em que o governo perdeu as eleições, no Sindicato Rural de Xapuri; e agora, os(as) seringueiros(as) organizaram uma chapa, encabeçada pelo companheiro Osmarino Amâncio, para concorrer à Diretoria do maior Sindicato daquele estado, o Sindicato Rural de Brasiléia.

Os(as) moradores(as) da floresta sabem da importância de derrotar o governo nas eleições dessa entidade sindical, uma vez que isso fortalece a sua luta contra o manejo, isto é, a derrubada de árvores da floresta, autorizada pelo governo; e em defesa da sua permanência, no local.

São esses(as) seringueiros(as) que, tendo à frente Osmarino Amâncio,  estão denunciando o programa BOLSA VERDE do governo, que através de uma doação mensal de R$ 100,00 (cem reais), quer proibir aos moradores o direito de pescar, caçar, e até mesmo de sobreviver.

Essa denúncia deixa claro que o objetivo do governo é o de expulsar os(as) moradores(as) da floresta, permitindo que as grandes madeireiras possam fazer o desmatamento, sem qualquer resistência. Hoje, os(as) seringueiros(as) que saíram vitoriosos(as), quando legalizaram as reservas extrativistas, sentem-se ameaçados(as) pela ofensiva do governo, através do novo Código Florestal, recentemente aprovado pelo Congresso Nacional, que entrega a Floresta Amazônica ao capital privado.

O mais lamentável desse processo é ver que o governo, que alega a falta de fiscais e da estrutura física necessária para fiscalizar o desmatamento está, constantemente, ameaçando aos(às) moradores(as) da floresta, como se esses(as) fossem os(as) principais responsáveis pelo desmatamento da Amazônia.

Na exposição de Osmarino Amâncio, por conta desse Painel, ficou perceptível a emoção pela qual a Plenária foi tomada, especialmente quando ele, sem conter suas lágrimas, começou a lembrar dos(as) seus(as) companheiros(as), líderes seringueiros(as), que pagaram com suas próprias vidas o preço de defender à floresta; dentre eles(as), o companheiro Chico Mendes.

Contribuir com a vitória dessa chapa no Sindicato de Brasiléia, encabeçada por Osmarino Amâncio, significa materializar uma luta que é de todos(as), ou seja, a LUTA EM DEFESA DA FLORESTA AMAZÔNICA; portanto, é válido incentivar a todas às entidades representativas dos(as) trabalhadores(as) a seguirem o exemplo do SINASEFE e contribuírem, financeiramente, para a campanha eleitoral dessa chapa ao Sindicato, como forma de expressar seu reconhecimento e solidariedade a essa importante luta dos(as) seringueiros(as).

O SINASEFE registra, com alegria, a oportunidade de prestar sua solidariedade aos(às) companheiros(as) trabalhadores(as) rurais da Floresta Amazônica, através da figura de Osmarino Amâncio, acompanhando-o na visita ao ICMbio e à Ouvidoria dos Direitos Humanos da Presidência da República, a fim de protocolar documentação referente a mais uma ameaça as suas vidas.

Que as autoridades, imediatamente, façam valer os direitos de trabalhar, e de viver, dos(as) moradores(as) da floresta.

CSP-CONLUTAS/SINASEFE