Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Relatório da Reunião do G T CARREIRA entre SINASEFE, ANDES, PROIFES e GOVERNO ocorrida no dia 13/04/2012

Representação do SINASEFE:

David Lobão, Gutenberg de Almeida, Silvio Roter ,Willian Carvalho, Marcos Dorval, Randall Teixeira, Tânia Guerra

Representação do Governo:

MEC Dulce Tristão - Coordenação Geral de Gestão de Pessoas

SETEC-  Aléssio Trindade .

MPOG – Sergio Mendonça, Edina Lima e Marcela tapajós

A reunião foi iniciada acordando que o governo faria exposição de sua posição sobre os temas e abriria o debate.

O governo iniciou a reunião apresentando sua posição contrária a carreira única dos servidores docentes federais, tendo como principal argumento que o perfil dos docentes das universidades que forma a carreira do Magistério superior (MS), tem um perfil diferente dos docentes que formam a carreira do Ensino Básico Técnico e Tecnológico (EBTT). O seu argumento estava substanciado nos dados estatísticos em que os docentes do MS tem um percentual de doutores muito superior  aos docentes do EBTT.

Iniciada a discussão os representantes do SINASEFE e ANDES desenvolveram toda uma argumentação para desconstruir os argumentos apresentados pelo governo deixando claro que a definições do papel dos docentes é o mesmo e por isso deveriam estar contemplados em uma única carreira, e a consolidação destes profissionais em carreira distintas era na verdade os classificar em docentes tipos A e docentes tipos B.

O PROIFES externou sua posição em defesa da proposta do governo, a qual foi imediatamente combatida pelos representantes do SINASEFE e ANDES. Foi colocado de forma firme que nossa posição em defesa da carreira única era construída ao longo de anos em seus fóruns e considerávamos estranho que em nossas bases não tínhamos registros de docentes que defendiam a permanência dos docentes federais em carreiras distintas.

Após um longo debate, Dulce Tristão e Marcela Tapajós colocaram a possibilidade de discutir a carreira única docente, porém deixando claro suas preocupações com o desenvolvimento dos servidores numa carreira única. Dulce Tristão enfatizou ainda que isso era uma opinião pessoal e que levaria essa discussão aos seus superiores.

Os representantes do SINASEFE e ANDES consideraram um avanço por parte do governo abrir a discussão sobre a possibilidade de construir uma carreira única e que estávamos disposto em discutir o desenvolvimento dos servidores na carreira sem causar prejuízos para os trabalhadores.

O fato lamentável foi que neste momento o PROIFES faz um longo pronunciamento contrário à carreira única numa afirmação cheia de preconceito com argumentos claros que revelam sua posição de que somos diferentes.

Aproveitando desta intervenção o representante da SETEC/MEC, Sr. Aléssio faz uma intervenção cheia de contradições onde reforça nossos argumentos sobre a necessidade da carreira única quando fortalece o papel dos IF’s no processo da Educação Brasileira mas conclui defendendo categoricamente a divisão dos docentes em duas carreiras.

Depois de três horas de discussões em torno da unificação da carreira, ficou decidido que o assunto seria retomado no início da próxima reunião, quando entidades e governo deverão apresentar seus posicionamentos diante dos argumentos apontados.

Após este debate o governo reafirma a agenda de negociações conosco, onde já temos audiências marcadas para o dia 19 (GT Carreira pela manhã e Colégios Militares e Ex-territórios à tarde) e 25 de abril de 2012.

Direção Nacional