Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias
Nota contra a desmarcação da Greve Geral de 5 de dezembro
Publicado por Mário Júnior - Sex, 01 dez. 2017 12:19

Hoje (01/12) fomos surpreendidos com a desmarcação da Greve Geral assinada pela cúpula de seis centrais sindicais (CUT, Força Sindical, CTB, UGT, Nova Central e CSB). Isto, sem consulta prévia à CSP-Conlutas e sem consulta à suas próprias bases nos estados e nos sindicatos. Resolveram desmarcar por telefone a Greve Geral convocada para o dia 5 de dezembro.

Isto acontece exatamente no momento em que o governo Temer está com dificuldade em conseguir o número de votos necessários para a aprovação do fim da aposentadoria dos trabalhadores brasileiros. Acontece no momento em que na base aumenta a disposição em realizar a Greve Geral e manifestações para derrotar definitivamente a Reforma da Previdência (PEC 287/2016).

Este recuo é um grave erro e ajuda somente ao governo Temer. Não conta com o apoio da CSP-Conlutas e nem do SINASEFE!

Este recuo significa abrir mão de uma ferramenta fundamental, que é a Greve Geral, uma grande oportunidade de, pela ação direta, enterrarmos de vez essa reforma que acaba com a nossa aposentadoria e vem sendo articulada a base da compra de votos por um governo e um Congresso Nacional corruptos a serviço da burguesia desse país.

A CSP-Conlutas está chamando todos os sindicatos e organizações de base a se manterem mobilizados e realizarem assembléias, protestos e manifestações, a manterem a pressão sobre os deputados nas casas e aeroportos.

O SINASEFE NACIONAL, atendendo a esse chamado, convoca suas bases e seções sindicais a manterem o dia 5 de dezembro como dia de GREVE NACIONAL da nossa categoria em unidade com outras categorias e setores do movimento sindical, popular e estudantil. Vamos fazer a nossa parte e parar a Rede Federal de Educação contra a Reforma da Previdência e contra todos os ataques do governo Temer: não vamos baixar a guarda!

O governo recuou apenas por uma semana, e se for colocar em votação a reforma, chamamos a todos os sindicatos e organizações a paralisarem o país imediatamente.

Só a luta unificada e uma Greve Geral podem derrotar o governo Temer e esse congresso de corruptos!

Se quiserem votar, o Brasil vai parar!


Conteúdo relacionado

Última atualização em Sáb, 02 dez. 2017 15:24