Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui: Início Notícias da Greve
Reforma da Previdência pode significar a morte da aposentadoria dos brasileiros
Publicado por Mário Júnior - Sex, 09 dez. 2016 11:31

No dia 5 de dezembro de 2016 o governo Temer lançou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 287/2016 que, na íntegra, faz uma drástica e perniciosa Reforma na Previdência Social. Esta PEC trará grandes impactos negativos para todos os cidadãos brasileiros!

De maneira resumida, destacamos abaixo os mais graves aspectos desta reforma:

  • A idade mínima para aposentadoria será de 65 anos para homens e mulheres;
  • O tempo mínimo de contribuição passará de 15 para 25 anos;
  • Aqueles que estiverem com 50 anos ou mais (homens) e com 45 anos ou mais (mulheres) poderão se aposentar pelas regras atuais, mas terão que pagar um adicional de 50% sobre o tempo que falta para a aposentadoria;
  • A compulsoriedade passará para 75 anos de idade;
  • Sempre que verificado o incremento mínimo de um ano inteiro na média nacional única correspondente à expectativa de sobrevida da população brasileira aos 65 anos, para ambos os sexos, as idades de aposentadoria serão majoradas em números inteiros.
Está mais do que claro que o governo está trabalhando num ritmo frenético para implementar a retirada de direitos sociais dos trabalhadores, ao mesmo tempo em que se recusa a, no mínimo, reunir-se com aqueles que representam a classe para debater sobre esses ataques.
Diante desta conjuntura gravíssima, reafirmamos que é chegada a hora de unificar todas as forças em prol das lutas das trabalhadoras e trabalhadores deste país, juntamente com estudantes e movimentos sociais, com o intuito de impedir que estas atrocidades, praticadas pelo governo Temer e seus aliados, continuem sendo empurradas goela a baixo da população.
Vamos à luta! Nenhum direito a menos!