Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui:
8 de março: seguir vigilantes em defesa dos direitos das mulheres
Publicado por Ascom Sinasefe - Qui, 07 mar. 2019 17:32

Nunca se esqueça que basta uma crise política, econômica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes. Você terá que manter-se vigilante durante toda a sua vida.

Simone de Beauvoir


As palavras de Simone relembram a necessidade de reforçar a luta ostensiva pelos direitos das mulheres, mesmo em pleno ano 2019. Neste 8 de março o SINASEFE reafirma a centralidade da defesa dos direitos das mulheres da classe trabalhadora. Convocadas pelas mulheres, centenas de pessoas ocupam as ruas do país hoje, marchando contra a violência machista e em defesa da aposentadoria, denunciando a nefasta Reforma da Previdência em curso no Congresso.
A convocação global do 8M é para denunciar a violência e o feminicídio em todo o mundo, além dos ataques dos governos neoliberais aos direitos mais elementares das mulheres trabalhadoras. No Brasil, iniciamos o ano com mais de 100 casos de feminicídio e os números não param de crescer, da mesma forma que aumentam os números de estupros e agressões contra as mulheres.

O governo de Jair Bolsonaro busca colocar, diariamente, as mulheres em situação de maior vulnerabilidade. Não somente com seu discurso que incentiva o machismo, mas com medidas concretas ainda mais violentas e retrógradas.

Diante de tantos ataques desse governo de retrocessos, é fundamental a realização de grandes atos e manifestações e debates, no 8 de março e também na Semana de Luta das Mulheres.

Vamos levantar também as bandeiras de luta pela defesa da saúde e educação públicas. O congelamento dos gastos públicos (EC 95/2016), aprovado ainda no governo Temer, ataca diretamente as mulheres da classe trabalhadora, assim, defendemos a universalização das matrículas em creches e escolas públicas, gratuitas e de qualidade, além da ampliação e defesa do SUS.


Conteúdo relacionado