Sindicato Nacional dos Servidores Federais
da Educação Básica, Profissional e Tecnológica


Representante dos docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica
Filiação:



Você está aqui:
CSP-Conlutas participa de sessão do Senado em comemoração ao Dia do Trabalhador
Publicado por Mário Júnior - Seg, 28 maio 2018 23:06

A CSP-Conlutas, Central Sindical e Popular na qual o SINASEFE possui filiação, participou na manhã desta segunda-feira (28/05) de uma sessão comemorativa do Senado Federal em homenagem ao Dia do Trabalhador - que foi festejado em 1º de maio, 27 dias atrás.

Na sessão, a Central foi representada por David Lobão, membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas e também coordenador geral do SINASEFE.

Confira no vídeo acima a intervenção de Lobão ou leia a transcrição de sua fala logo abaixo:

Neste final de semana, a CSP-Conlutas fez reunião da sua Coordenação Nacional, e passamos três dias discutindo a necessidade de fazermos uma solidariedade, um apoio militante à greve dos caminhoneiros. E achamos importante registrar o nosso apoio militante por alguma coisa que nós já consideramos fundamental: a principal reivindicação dos caminhoneiros dialoga com a sociedade.

É fundamental que os preços dos combustíveis sejam diminuídos para que os preços dos alimentos não subam, para que os preços e o custo de vida da sociedade não subam. Então, essa é a principal reivindicação que dialoga com os companheiros da sociedade brasileira. Mas, para nós, há outras coisas em discussão que consideramos fundamentais.

A greve dos caminhoneiros desnuda uma política de preços da Petrobras que nós consideramos criminosa. Ela está ligada aos interesses do capital internacional, das grandes empresas internacionais e faz com que a nossa Petrobras se prejudique. Hoje nós estamos fazendo algo criminoso. Mandamos o nosso petróleo para fora para ser refinado, quando as nossas refinarias têm capacidade de refinar mais do que estão refinando, e isso encarece o produto brutalmente. Para nós isso é um ato criminoso, porque o Governo anuncia a possibilidade, a tentativa, o desejo de vender quatro refinarias no nosso país, privatizar quatro refinarias. E isso é um ato criminoso contra a sociedade brasileira.

Então, essa luta dos caminhoneiros tem duas questões que para nós são fundamentais: a primeira, a sua grande reivindicação que dialoga com os interesses do povo brasileiro; a segunda, desnuda uma política criminosa do governo federal em efetivamente tentar destruir um dos maiores patrimônios deste povo, que é a nossa Petrobras.

Então, para nós, defender e apoiar essa greve é defender e apoiar o desejo da classe trabalhadora de ter vida melhor. E, para isso, nós queremos registrar aqui o nosso grande apoio militante àquilo que está se desenhando e que vai ser, com certeza, vitorioso: a paralisação dos companheiros petroleiros.

A partir da quarta-feira (30/05), a um minuto da quarta-feira, os petroleiros estão anunciando três dias de paralisação. E essa paralisação tem um objetivo forte, é uma paralisação de advertência, em defesa da Petrobras, em defesa da redução do gás de cozinha, em defesa da redução da gasolina, em defesa do direito da classe trabalhadora viver melhor neste País. Então, nós vamos fazer esse apoio militante.

Quero concluir dizendo às centrais sindicais que o nosso momento impõe que demos muito, mas muito apoio militante a esse movimento, e que possamos construir, neste país, a greve geral de todos os trabalhadores contra essa política nociva aos interesses da nossa classe.

A CSP-Conlutas está empenhada na possibilidade de reunir toda a classe trabalhadora na defesa dos seus interesses. E os interesses vão para além dos colocados pelos caminhoneiros, em defesa de uma Educação de Qualidade, de saúde de qualidade e de assistência social de qualidade.

Viva a luta dos trabalhadores! Viva a luta dos caminhoneiros! Viva a luta dos petroleiros!

E que possamos, de pé, construir um novo Brasil!

Vamos, com muita disposição, tentar construir a greve geral da classe trabalhadora!

Viva a luta!

Leia também: